O 27º Ciab FEBRABAN - Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras bateu os recordes de participantes, palestrantes e patrocinadores da história do evento, considerado atualmente o maior e mais importante fórum de TI para o setor financeiro da América Latina. O fórum de TI teve como tema central “Ser Digital” com o debate sobre como as inovações tecnológicas têm transformado os negócios bancários e como poderão facilitar o desenvolvimento de produtos e soluções para novas melhorias na experiência dos clientes.

Mais de 21 mil pessoas circularam pela exposição, realizada entre os dias 6 e 8 de junho, alta de quase 18% em relação ao ano passado. Em uma área de mais de 30 mil m² no Transamerica Expo Center estiveram 3,74 mil congressistas, entre os quais aproximadamente 120 eram estrangeiros (crescimento de 14%) de 38 países diferentes (64% a mais que no ano passado).

O Ciab FEBRABAN também registrou alta no número de patrocinadores: em 2017 foram 43 ante 40 no ano anterior. O número de painéis também cresceu, passando de 60 para 73 na edição deste ano. Além disso, 280 palestrantes apresentaram as principais soluções e inovações de tecnologia para o setor bancário, ante 200 que estiveram na edição de 2016.

“O Ciab FEBRABAN bateu todos os recordes neste ano. Observamos que o congresso também ficou mais internacional e muitas empresas estiveram pela primeira vez no fórum, além de várias startups de tecnologia”, afirmou Gustavo Fosse, diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da FEBRABAN. “É o evento da indústria financeira de tecnologia da América Latina.”

O 27º Ciab FEBRABAN também recebeu palestrantes de peso, como os presidentes do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli; e do Santander, Sérgio Rial; o prefeito de São Paulo, João Doria; e o cofundador do Uber, Oscar Salazar. Na abertura do congresso estiveram presentes o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab; o presidente da FEBRABAN, Murilo Portugal; e Maurício Minas, vice-presidente do Bradesco e presidente do Conselho Ciab FEBRABAN . Na abertura também foi registrada a presença de Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Bradesco.

 

Destaques

O Ciab 2017 foi dividido em três grandes temas, as chamadas “trilhas técnicas” do evento: Produtos, Transformação Digital e Experiência do Cliente. Grandes empresas de tecnologia e do setor financeiro apresentaram novidades para o segmento, desde soluções de biometria que identificam os clientes pela maneira de caminhar, por veias na palma da mão, reconhecimento facial ou pelo modo de digitar, até soluções de pagamento no computador de bordo dos carros, tecnologias omni-channel (para integrar vários canais e promover atendimento contínuo), plataformas de inteligência artificial e cognitiva e sistemas de pagamento off-line pelo celular via QR Code.

“O 27º Ciab realmente encarnou a temática principal, que é ser digital”, afirmou Maurício Minas. Para o executivo, o Ciab é uma excelente oportunidade para o Brasil buscar uma agenda positiva. “No evento falamos de negócios, sobre um país que continua crescendo, de uma economia pujante”, disse. “Em função desta combinação, tivemos o melhor Ciab dos últimos anos.”

Para Gustavo Fosse, um dos grandes destaques da 27ª edição foi a realização do 1º Hackaton Ciab FEBRABAN e a continuidade do Fintech Day, que, em 2017, chegou à sua segunda edição. “A realização destes dois eventos mostra que os bancos também estão antenados e acompanhando os movimentos das startups, até com o olhar de parcerias com as fintechs”, avaliou.

 O 1º Hackaton Ciab FEBRABAN teve mais de 400 inscritos, entre os quais 80 foram selecionados para participar da maratona que ocorreu nos dias 3 e 4 de junho, no espaço CO.W. Berrini, em São Paulo. A comissão julgadora elegeu quatro finalistas e, durante o Ciab, eles puderam expor seus projetos. A equipe vencedora - Kibank – foi escolhida durante o evento por voto popular.

Em apenas um final de semana, o grupo elaborou um aplicativo que oferece aos pais a possibilidade de acompanhar os gastos dos filhos, enquanto os jovens aprendem a administrar seu próprio dinheiro. Como prêmio, a Kibank ganhou reuniões com lideranças bancárias e três meses de residência em um espaço de coworking.

O 2º Fintech Day teve como objetivo gerar oportunidades de negócios entre instituições financeiras e desenvolvedores de soluções inovadoras e disruptivas. Vinte e uma fintechs foram selecionadas, a partir de uma lista prévia de cadastro, para apresentar suas soluções durante o congresso. Um júri formado por especialistas de grandes bancos e empresas de TI selecionou as três vencedoras, que se reuniram com lideranças dos grandes bancos para estudar possibilidades de negócios e parcerias.

Nesta edição, o primeiro lugar ficou com a Dataholicks, que apresentou uma plataforma que capta e estrutura milhões de dados de pessoas que estão nas redes sociais e fontes públicas da web. O segundo lugar ficou com a Fullface, que mostrou uma solução de biometria facial para identificação de pessoas de forma transparente e rápida para garantir segurança em processos físicos e digitais. Na terceira colocação ficou a Tem, com um projeto de acesso à saúde para populações com menor renda e educação do consumidor para prevenção e uso consciente dos serviços.

 

Novas tecnologias

Como toda edição, o Ciab FEBRABAN abriu espaço para o debate de novas tecnologias, como o blockchain, inovação usada para a moeda virtual bitcoin e para criar registros de dados confirmados de forma descentralizada. O potencial da tecnologia e a rapidez com que testes estão sendo desenvolvidos mundo afora colocaram o tema entre os destaques do congresso. Foram seis painéis voltados ao assunto, ante três feitos da edição de 2016, com apresentação de cases do Brasil e do exterior.

Em dois deles foram demonstradas provas de conceito (PoC), simulações do uso do blockchain, desenvolvidos pelo grupo de trabalho Blockchain FEBRABAN, que já começa a preparar um projeto-piloto com base na tecnologia. O grupo foi criado em agosto do ano passado e é composto pelos membros da Comissão Executiva de Tecnologia e Automação Bancária (CNAB): Banco do Brasil, Bancoob, Banrisus, Bradesco, BTG Pactual, Caixa, Citibank, Itaú Unibanco, JP Morgan, Safra e Santander, além do Banco Central, da CIP e da B3.

As duas provas de conceito foram feitas para testar diferentes plataformas (Corda e Hyperledger) com base em um produto fictício - um cadastro de cliente com capacidade de compartilhamento entre diferentes instituições e atualização em tempo real. “A intenção foi testar até que ponto as plataformas suportam um produto disruptivo no mercado”, afirma Adilson Fernandes da Conceição, coordenador do GT Blockchain